uma outra vida

Talvez noutra vida possa te encontrar
e atravessar-te os cabelos
com minhas mãos frias,
os lábios colados aos teus,
o vento atravessando
meu vestido –
um clichê de novela
ainda assim, um bom clichê.

Talvez me recebas
num altar de sonhos
para onde caminharei descalça
sobre a areia,
flores trançadas nos cabelos,
música do Chico tocada num violão.

Talvez a outra vida aconteça
nesta mesma sem projetos
e cesse a angústia de esperar
por outra chance, outra carne,
à mesma alma
no mesmo conflito por duvidar-se imortal.

Hoje, resta-me, ao fim dos dias,
a lembrança quente em minha cama
do teu verbo,
do teu sorriso,
enquanto às minhas mãos urge
a vontade de aninharem-se entre seus fios
e de correrem a lã da tua camisa.

Hoje, em mim, a vontade de abraçar-te é maior do que ontem.

Ah, se não vivesses ao longe…
quem sabe uma nova vida
eu pudesse encontrar
não tão longe de agora
mas agora mesmo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s