mexendo no baú III

COLO Se eu pudesse contar-te essa saudade e pudesse abraçar-me a tua paz Chamando-te, então, amigo, para junto de mim, se pudesse encontrar-te sozinho e deitar em meu colo teu conflito, acariciando levemente teus cabelos, e se pudesses compreender que o amor que guardo em mim é tão superior que a mim mesma espanta, então […]

mexendo no baú II

À DISTÂNCIA Por não saberes que me perdes quando me olhas superior, escolhendo as falas que mais exaltem tua sabedoria e que nada além do teu sorriso admiro e nada além de teu olhar me excita e que tudo destrói tua presunção É que, por não saberes o quanto perdes, deixando que te escape o […]

mexendo no baú I

BORBOLETA Não invejo o avião, que voa muito acima das nuvens, quase encostado no céu. Nem a graça natural do pássaro invejo, rasante e sonoro entre as copas das árvores. Mas sim a borboleta que passa e em toda sua pequenez voa baixo, muito baixo para, entre beijos, alimentar-se de uma flor. (escrito aos 16 […]